PTBR/Prabhupada 0845 - Até o Cão Sabe Como Usar a Vida Sexual. Não Requer Uma Filosofia de Freud

From Vanipedia
Jump to: navigation, search
Go-previous.png Página anterior - Video 0844
Próxima Página - Video 0846 Go-next.png

Até o Cão Sabe Como Usar a Vida Sexual. Não Requer Uma Filosofia de Freud
- Prabhupāda 0845


761217 - Lecture BG 03.25 - Hyderabad

saktāḥ karmaṇy avidvāṁso
yathā kurvanti bhārata
kuryād vidvāṁs tathāsaktaś
cikīrṣur loka-saṅgraham
(BG 3.25)

Existem duas classes de homens: vidvān, instruído e os tolos. Não instruído, talvez não seja tolo. Ser humano, eles são, claro, muito inteligentes mais que os animais. Mas entre eles há mais inteligentes, menos inteligentes. No geral, eles são mais inteligentes que os animais. Enquanto estamos falando de inteligência, na questão de considerar comer, dormir, sexo e defesa, isso é igual, seja no animal ou no ser humano. Não requer nenhuma educação. Até o cachorro sabe como usar a vida sexual. Não requer a filosofia de Freud. Mas a sociedade humana de patifes , eles estão pensando que "Aqui está um grande filósofo. Ele está escrevendo sobre sexo". Isso está acontecendo. Comer, simplesmente comer ... Aqui está uma terra. Você trabalha um pouco, obtém seus grãos de comida produzidos e você pode comer de forma sumptuosa. Mas isso não requer um matadouro científico para trazer grande vacas e viver na cidade à custa da vida dos pobres animais. Isso é uso indevido de inteligência. Isto não é inteligência.

Portanto, um devoto que é realmente inteligente, eles devem mostrar o modo como nossa inteligência pode ser utilizada. Isso é explicado aqui, saktāḥ karmaṇy avidvāṁsaḥ. Avidvāṁsaḥ, tolos, homens com um pobre fundo de conhecimento, Eles descobriram tantas linhas de atividades, simplesmente tolice. Então a civilização moderna, o tão chamado avanço da civilização, é, eu quero dizer, planejado pelo avidvāṁsaḥ, homens com pobres fundos de conhecimento. Eles não são avanços da civilização. Portanto, eles não acreditam na transmigração da alma. Eles não acreditam, evitam o principal problema, e eles estão planejando nesta vida que viverão por cinquenta ou sessenta anos, fazendo grandes planos, saktāḥ, estando materialmente apegado. Saktāḥ karmaṇi e descobrindo novos e novos métodos de engajamento.

Avidvāṁsaḥ. Eles não sabem como envolver um cérebro e talento. Isso discutimos no outro dia, que pravṛttiṁ ca nivṛttiṁ ca na vidur āsurā janāḥ (BG 16.7). De que maneira devemos envolver nosso cérebro e talento eles não conhecem. Essa é a diferença entre um devatā e um asura. Asura não sabe. Asura acha que ele vai viver para sempre e deixe-o preparar grandes planos para o conforto material. Esta é a civilização asurica. Ele não será permetido ficar aqui. Duḥkhālayam aśāśvatam (BG 8.15). É o lugar de sofrimento para que possamos entender nossa posição.

Mas esses tolos não levam em consideração o sofrimento. Eles estão fazendo planos para mais sofrimento. Isso é uma civilização tola. Eles não podem ... Os chamados cientistas, eles estão falando em malabarismo de palavras, avanço. E como estávamos discutindo esta manhã, qualquer inteligente pode perguntar: "Então o que você resolveu? Que tipo de solução você fez deste problema de nascimento, morte, velhice e doença? Você resolveu esse problema? "Nisso eles não vão dizer sim. "Sim, estamos tentando, depois de milhões de anos, pode ser possível." Isso também é ... "Pode ser que vivamos para sempre." Eles dizem assim. Agora, quem vai viver por milhões de anos para ver, para confirmar sua proposta? Todos terminarão dentro de cinquenta, sessenta anos. Você será ... Seu patife, você também estará acabado. E quem vai ver o resultado da sua ação? Então isso está acontecendo. Portanto, é dever da pessoa inteligente mostrar o modo de viver.