PTBR/Prabhupada 0034 - Todos recebem conhecimento da autoridade

From Vanipedia
Jump to: navigation, search



Todos recebem conhecimento da autoridade
- Prabhupāda 0034


Lecture on BG 7.1 -- Durban, October 9, 1975

Capítulo Sete, "O conhecimento acerca do Absoluto." Há duas coisas, o absoluto e o relativo. Este é o mundo relativo. Aqui não podemos entender uma coisa sem a outra. Assim que se fala que "Aqui está o filho," deve haver um pai. Assim que se diz "Aqui está o marido," deve haver esposa. Assim que se diz "Aqui está o servo," deve haver mestre. Assim que se diz "Aqui está a luz," deve haver escuridão. Isto é chamado mundo relativo. Algo tem que ser entendido por outros termos relativos. Mas há um outro mundo, chamado de mundo absoluto. Lá, o mestre e o servo são a mesma coisa. Não há distinção. Embora um é mestre e o outro é servo, mas a posição é a mesma.

Assim, o sétimo capítulo do Bhagavad-gītā está nos dando uma ideia sobre o mundo absoluto, conhecimento absoluto. Como esse conhecimento pode ser alcançado, que está sendo falado pelo Absoluto, a Pessoa Suprema, Kṛṣṇa. Krishna é a Pessoa Suprema Absoluta.

īśvaraḥ paramaḥ kṛṣṇaḥ
sac-cid-ānanda-vigrahaḥ
anādir ādir govindaḥ
sarva-kāraṇa-kāraṇam
(Bs. 5.1)

Esta é a definição de Kṛṣṇa dada pelo Senhor Brahmā em seu livro conhecido como Brahma-saṁhitā, um livro muito autorizado. Este livro foi trazido por Śrī Caitanya Mahāprabhu do sul da Índia, e Ele o apresentou aos Seus devotos quando ele voltou da turnê pelo sul da Índia. Por isso aceitamos este livro, Brahma-saṁhitā, como referência. Este é o nosso processo de conhecimento. Nós recebemos o conhecimento da autoridade. Todos recebem conhecimento da autoridade, mas a autoridade geral, e nosso processo de aceitação de autoridade são um pouco diferentes. Nosso processo de aceitação de uma autoridade significa que ele também está aceitando a autoridade anterior. Ninguém pode proclamar a si mesmo como autoridade. Isso não é possível. Se alguém o faz, então ele é imperfeito. Tenho dado este exemplo muitas vezes, que uma criança aprende a partir de seu pai. A criança pergunta ao pai: "Pai, o que é essa máquina?" E o pai diz: "Meu querido filho, isso é chamado de microfone." Então a criança recebe o conhecimento do pai: "Isto é um microfone." Assim, quando a criança diz a alguém: "Isto é um microfone", ele está correto. Embora ele é uma criança, ainda, porque ele tem recebido o conhecimento da autoridade, sua expressão está correta. Da mesma forma, se nós recebemos o conhecimento da autoridade, então eu posso ser criança, mas minha expressão está correta. Este é o nosso processo de conhecimento. Nós não fabricamos conhecimento. Esse é o processo dado no Bhagavad-gītā no Quarto Capítulo, evaṁ paramparā-prāptam imaṁ rājarṣayo viduḥ (BG 4.2). Este sistema paramparā ...

imaṁ vivasvate yogaṁ
proktavān aham avyayam
vivasvān manave prāha
manur ikṣvākave 'bravīt
(BG 4.1)

Evaṁ paramparā. Assim, o conhecimento absoluto pode ser alcançado quando ouvimos do Absoluto. Nenhuma pessoa no mundo relativo pode nos informar sobre o conhecimento absoluto. Isso não é possível. Então, aqui estamos compreendendo sobre o mundo absoluto, conhecimento absoluto, da Pessoa Suprema, a Pessoa Absoluta. Pessoa Absoluta significa anādir ādir govindaḥ (Bs. 5.1). Ele é a pessoa original, mas Ele não tem original; Por conseguinte, absoluto. Ele não é para ser entendido como sendo criado por outra pessoa. Isso é Deus. Então, aqui neste capítulo, portanto, diz-se, śrī bhagavān uvāca, Pessoa Absoluta ... Bhagavān significa a Pessoa Absoluta, que não depende de ninguém.