PTBR/Prabhupada 0360 - Nós não nos aproximamos diretamente de Krishnan. Devemos começar nosso serviço aos sevos de Krishna

From Vanipedia
Jump to: navigation, search
Go-previous.png Página anterior - Video 0359
Próxima Página - Video 0361 Go-next.png

Nós não nos aproximamos diretamente de Krishnan. Devemos começar nosso serviço aos sevos de Krishna
- Prabhupāda 0360


Lecture on SB 7.9.42 -- Mayapur, March 22, 1976

Ko nu atra te akhila-guro bhagavan prayāsa. Todos querem exigem mais esforços para nos prestar favores, mas Kṛṣṇa não exige. Esse é Kṛṣṇa. Ele pode fazer qualquer coisa que ele goste. Ele não depende dos outros. As pessoas dependem da punição de Kṛṣṇa, mas Ele não depende da punição de ninguém. Portanto, Prahlāda Mahārāja disse - bhagavan prayāsa. Não é aconselhado tomar Prayāsa, principalmente os devotos. Não se deve tomar responsabilidades que requerem muito esforço. Não. Devemos nos comprometer apenas com coisas simples, na medida do possível. É claro que um devoto quer correr o risco, como Hanumān. Ele foi o servo do Senhor Rāmacandra. Então, o Senhor Rāmacandra quis tomar informações sobre Sītādevi. Então, ele não considerou algo como: "Como eu devia ir até o outro lado do oceano, Laṅka?" Ele, simplesmente acreditando no Senhor Rāmacandra - "Jaya Rāma", pulou. Então, Rāmacandra teve que construir uma ponte. É claro que a ponte também é maravilhosa por causa dos macacos trouxeram pedras e eles as jogavam no mar, mas elas boiavam. Então, onde está a sua lei gravitacional? As pedras boiam no caminho! Isso não pode ser feito por cientistas. Mas o Senhor Rāmacandra desejou que as pedras boiassem. Pelo contrário, quantas pedras nós deveríamos jogar no mar até que elas viessem a atingir o nível de se tornarem uma ponte? Isso foi possível! Tudo foi possível! Mas Rāmacandra quis que isso se simplificasse. Então deixem-os trazer as pedras e elas boiarão. Então, deveremos ir". Então, sem as pedras Ele poderia ir, mas Ele queria algum serviço dos macacos. Haviam muitos macacos. Baro baro badare, baro baro peṭ, laṅka diṅgake, mata kare het. Haviam outros macacos, mas não exatamente capazes como os Hanumān. Portanto, eles também receberam algumas chances de trazer pedras. Você não pode pular no mar como um Hanumān. Então, você traz pedras e eu peço a elas para boiarem.

Então, Kṛṣṇa não pode fazer nada. Aṅgāni yasya sakalendriya-vṛttimanti. Ele não pode fazer nada. Não podemos fazê-lo sem o seu favor. Então, Prahlāda Mahārāja pergunta: "Se você gentilmente se torna misericordioso perante nós, esta não é uma boa tarefa para Você, porque você pode fazer o que você quiser. Você é a causa da criação, da manutenção e da destruição, então, isso não é difícil pra você". Ao lado disso, mūḍheṣu vai mahad-anugraha ārta-bandho. Geralmente, aqueles que são ārta-bandhu, amigo da humanidade sofredora, são especialmente os que mostram favores a mūḍha, aos malandros. Kṛṣṇa vem para essa proposta, porque todos nós somos mūḍhas. Duṣkṛtino. Na māṁ duṣkṭtino mūḍhāḥ prapadyante, Normalmente, pelo fato de sermos pecaminosos, não nos rendemos a Kṛṣṇa. Na māṁ prapadyante. Seja quem for que não se renda a Kṛṣṇa é classificado como duṣkṛtina, mūḍha, narādhamā, māyayāpahṛta-jñānā. É impossível se tornar independente de Kṛṣṇa. Portanto, aqueles que estão tentando trabalhar independentemente, sem o favor de Kṛṣṇa, são mūḍhas. Eles não aceitarão o que Kṛṣṇa diz e estão tentando estabelecer leis sem Kṛṣṇa. "Deus não é necessário". A maioria dos cientistas dizem isso. "Agora, temos ciência. Podemos fazer tudo". Isso não é possível. Independentemente disso, você não pode fazer nada sem a ajuda de Kṛṣṇa.

Sempre há de se tentar buscar o favor de Kṛṣṇa. Mas você não pode buscar o favor de Kṛṣṇa diretamente. Esse também é outro ponto. Kiṁ tena te priya-janān anusevatāṁ naḥ. Você não consegue pular em Kṛṣṇa sem o favor do Seu devoto. Yasya prasādād bhagavat-prasādaḥ. Não é possível buscar diretamente o favor de Bhagavān. Essa é outra tolice. Você precisa se aproximar de um servo de Kṛṣṇa. Gopī-bhartur pada-kamalayor dāsa-dāsa-dāsānudāsaḥ. Esse é o nosso processo. Não chagamos a Kṛṣṇa de forma direta. Temos que começar nosso serviço aos servos de Kṛṣṇa. E quem são os devotos de Kṛṣṇa? Quem se tornou servo de outro servo. Isso é chamado dāsa-dāsānudāsa. Ninguém pode ser servo de Kṛṣṇa independentemente. Esta é outra tolice. Kṛṣṇa nunca aceita o serviço direto de ninguém. Isso não é possível. Você deve ir até o servo de um servo. (CC Madhya 13.80). Isso é chamado de sistema do paramparā. Você recebe conhecimento através desse sistema. Kṛṣṇa disse a Brahmā, Brahmā disse a Nārada, Nārada disse a Vyāsadeva e nós estamos recebendo esse conhecimento. Assim como Kṛṣṇa... O Bhagavad-gītā foi dito por Kṛṣṇa para Arjuna.

Então, se desistimos do processo de compreensão, como Arjuna fez, Você nunca será capaz de entender Kṛṣṇa, ou Deus. Isso não é possível. Você tem que seguir o processo que Arjuna aceitou. Arjuna também disse - "Eu estou aceitando Você, A Suprema Personalidade de Deus". por Vyāsadeva e Asita terem aceitado, Nārada aceitou. Da mesma forma, temos que compreender Kṛṣṇa. Portanto, esses tolos que estão tentando entender Kṛṣṇa diretamente pela interpretação são todos iludidos. Eles não conseguem entender Kṛṣṇa. São assim chamados grandes homens. Ninguém é grande homem. Eles tabém são sa vai. Śva-viḍ-varāhoṣṭra-kharaiḥ saṁstutaḥ puruṣaḥ paśuḥ (SB 2.3.19). Puruṣaḥ paśuḥ. Esses grandes homens que são tão elogiados pelos tolos e que são grande líderes, o que eles realmente são? Por eles não serem devotos de Kṛṣṇa, não conseguem liderar. Eles cometerão erros na liderança. Portanto, sabemos que são todos tolos. Isso é critério. Leve em conta este critério. Qualquer coisa que você queira aprender de alguém, antes de tudo, você precisa encontrar algum devoto de Kṛṣṇa. Do contrário, não leve a sério nenhuma lição. Nós não aprendemos lições de uma pessoa que lida com "Talvez", "pode ser que"... Não. Nós não queremos um cientista ou um matemático. Quem conhece Kṛṣṇa e é Seu devoto, sobrecarregado em êxtase simplesmente por ouvir Kṛṣṇa, é a pessoa certa para lhe transmitir conhecimentos. Muito obrigado.