PTBR/Prabhupada 0544 - Estamos Especialmente Enfatizando Sobre A Missão De Bhaktisiddhanta Sarasvati Thakura

From Vanipedia
Jump to: navigation, search
Go-previous.png Página anterior - Video 0543
Próxima Página - Video 0545 Go-next.png

Estamos Especialmente Enfatizando Sobre A Missão De Bhaktisiddhanta Sarasvati Thakura
- Prabhupāda 0544


His Divine Grace Srila Bhaktisiddhanta Sarasvati Gosvami Prabhupada's Appearance Day, Lecture -- Mayapur, February 21, 1976

Prabhupāda: Hoje, dia auspicioso do nosso mestre espiritual predecessor, Oṁ Viṣṇupāda Paramahaṁsa Parivrājakācārya Aṣṭottara-śata Śrīmad Bhaktisiddhānta Sarasvatī Ṭhākura Prabhupāda. A missão de Śrīla Bhaktisiddhānta Sarasvatī Ṭhākura... Além de sua vida, estamos especialmente enfatizando a missão de Bhaktisiddhānta Sarasvatī Ṭhākura. Este lugar, Māyāpur, era anteriormente conhecido como Miyapura. Na maior parte é habitado pelos maometanos. De alguma forma ou outra, foi convertido em nome de Miyapura em vez de Māyāpur. Ainda assim, as pessoas estão muito duvidosas, de onde é o local de nascimento de Śrī Caitanya Mahāprabhu. E Bhaktivinoda Ṭhākura estava pesquisando para saber o local exato. Então, sob a direção de Jagannātha dāsa Bābājī Mahārāja, essa presente Yogapīṭha foi apurada para ser o local de nascimento de Śrī Caitanya Mahāprabhu. Então, Bhaktivinoda no início quis desenvolver este lugar muito gloriosamente, condizente com o santo nome de Śrī Caitanya Mahāprabhu. Então ele começou este movimento de desenvolver Māyāpur. Ele não conseguiu terminá-lo, por isso, foi proferido a Bhaktisiddhānta Sarasvatī Ṭhākura. Então, sob seu empenho, foi assistido por seus discípulos, este lugar tem se desenvolvido gradualmente, e nossa tentativa é também desenvolver este lugar. Portanto, temos chamado este templo Māyāpur Chandrodaya. Temos grande ambição de desenvolver este lugar muito bem e gloriosamente, e, felizmente, agora estamos conectados com países estrangeiros, especialmente com os americanos. O grande desejo de Bhaktivinoda Ṭhākura era que os americanos viessem aqui, e desenvolvessem este lugar, e que eles cantassem e dançassem juntos com os índios.

Então seu sonho, bem como a predição de Caitanya Mahāprabhu,

pṛthivīte āche yata nagarādi grāma
sarvatra pracāra haibe mora nāma
(CB Antya-khaṇḍa 4.126)

Então, Caitanya Mahāprabhu desejava que todos os índios participassem.

bhārata bhūmite manuṣya-janma haila yāra
janma sārthaka kari' kara para-upakāra.
(CC Adi 9.41)


Esta é a missão de Caitanya Mahāprabhu, para-upakāra. Para-upakāra significa fazer o bem aos outros. É claro que, na sociedade humana, existem muitos ramos diferentes de fazer o bem aos outros - sociedades de bem-estar - mas mais ou menos... Por que mais ou menos? Quase completamente, eles pensam que este corpo é o nosso eu, e fazer algo de bom para o corpo é atividade de assistência social. Mas, na verdade, essas não são atividades de assistência social. porque no Bhagavad-gītā entendemos muito claramente, antavanta ime dehaḥ nityasyoktāḥ śarīriṇaḥ. Este corpo é antavat. Anta significa que ele vai ser extinto. Todo mundo sabe que o seu corpo não é permanente; ele será aniquilado. Qualquer coisa material - bhūtvā bhūtvā pralīyate (BG 8.19) - ela tem uma data de nascimento, permanece por algum tempo, e, em seguida, é aniquilada. Assim, a educação espiritual começa a partir do entendimento que "Eu não sou este corpo." Isso é educação espiritual. No Bhagavad-gītā a primeira instrução dada por Kṛṣṇa a Arjuna, é essa: que não somos este corpo. Porque Arjuna estava falando a partir da plataforma do corpo, então Kṛṣṇa o repreendeu: aśocyān anvaśocas tvaṁ prajñā-vādāṁś ca bhāṣase: (BG 2.11) "Arjuna, você está falando como um homem muito culto, mas você está lamentando sobre assuntos sobre os quais nenhum homem erudito lamenta." Aśocyān anvaśocas tvam.

Assim, esse tipo de atividade de assistência social a respeito do corpo, como hospitais e tantas outras coisas, elas são boas, sem dúvida, mas o objetivo final é ver o interesse da alma. Esse é o objetivo final. Essa é toda a instrução Védica. E Kṛṣṇa começa a partir deste ponto. Dehino 'smin yathā dehe kaumāraṁ yauvanaṁ jarā (BG 2.13).