PTBR/Prabhupada 0801 - Técnologia não é négocio de um Brahmana, Ksatriya ou Vaisya

From Vanipedia
Jump to: navigation, search
Go-previous.png Página anterior - Video 0800
Próxima Página - Video 0802 Go-next.png

Técnologia não é négocio de um Brahmana, Ksatriya ou Vaisya
- Prabhupāda 0801


Lecture on SB 1.7.16 -- Vrndavana, September 14, 1976

Então aqui, um brahma-bandhu ... Aśvatthāmā nasceu de um brāhmaṇa, Droṇācārya. Mas ele matou os cinco filhos de Draupadī muito abominável, quando eles estavam dormindo. Então, o que falar de brāhmaṇa, ele é até menos que um kṣatriya. Porque até um kṣatriya, não mata ninguém enquanto estiver dormindo. Um kṣatriya desafia, oferece-lhe armas, lutas e então um deles é morto. Isso é... Então aqui é brahma-bandhoḥ ātatāyinaḥ. Ātatāyinaḥ, agressor. Qualquer um que sequestra a esposa de alguém é chamado de agressor. Um que atear fogo em sua casa, ele é agressor. Aquele que vem te matar com arma, ele é agressor. Desta forma, há uma lista de agressão. Então o agressor pode ser morto imediatamente. Se alguém é agressor, não há pecado em matar agressor. Inimigo que incendeia a casa, administra veneno, ataca de repente com arma mortal, rouba riqueza, ou usurpa o campo agrícola, ou seduz a esposa é chamado de agressor. Tudo ... Este é o conhecimento védico. Tudo tem definição.

Então este Aśvatthāmā era um agressor. Portanto, Arjuna decidiu matá-lo. Ele é, embora ele tenha nascido em uma família brāhmaṇa ... Naturalmente, espera-se que uma pessoa nascida em uma família brāhmaṇa se torne um brāhmaṇa por qualificação. Esse foi o treinamento. O brahmacārī ... Geralmente os filhos de brāhmaṇa e kṣatriya também, especialmente essas duas seitas, até vaiśya, eles foram treinados como brahmacārīs. E os śūdras não estavam interessados. A porta está aberta para todos, mas a classe baixa, exceto brāhmaṇa, kṣatriya, eles não estão interessados ​​em se tornar brahmacārī, ou seus pais não estão interessados. Assim como vamos abrir esta escola brahmacārī, ou āśrama, mas eu estou em dúvida se vamos ter muitas crianças. Porque nesta era as pessoas estão interessadas em se tornar śūdras. Ninguém está interessado em se tornar brāhmaṇa. Tecnologia. Tecnologia significa śūdra. A tecnologia não é o negócio de um brāhmaṇa, kṣatriya ou vaiśya. Não. Assim como ferreiro, ourives, carpinteiro, artesão. Estes são tecnologia. Eles são feitos para os śūdras. Brāhmaṇas, eles devem ser treinados para se tornarem verdadeiros, como se tornar controlador dos sentidos, como se tornar simples, como se tornar tolerante. Desse jeito. Kṣatriya - como se tornar forte, grande, corajoso não vai embora quando há desafio, para não fugir dos combates, possuir terra, governar, īśvara-bhāvaś ca e dar caridade. Estas são as qualificações kṣatriya. A caridade foi dada pelos kṣatriyas. Até mesmo há situações que Maometanos governantes nesse país, eles também doaram em caridade, terra e templo em Vrndavana. Existem muitos casos. Aurangzeb deu algumas terras, Jahangir deu algumas terras. Ainda há um templo, foi construído por Jahangir, e do outro lado do Yamunā existe uma aldeia chamada Jahangir-pura. Essa aldeia foi dada aos brāhmaṇas para manter o templo. Então caridade, isso é negócio de kṣatriya, e executar yajñas, dar caridade, governar, não deixar de lutar, desafios, muito forte, robusto - estas são qualificações kṣatriya. E a qualificação do vaiśya - agricultura. Kṛṣi. Kṛṣi-gorakṣya e proteção das vacas. Kṛṣi-gorakṣya-vāṇijyam. E se houver excesso, então vāṇijya, negocie. Caso contrário, não há questão de negociar. E vaiśya ... E śūdra, paricaryātmakam (BG 18.44) - trabalhar por algum pagamento. Este são os ferreiro, ourives, tecelão. Você pega um pouco de trabalho dele e lhe paga algo, mantenha-o. Isso é śūdra. Assim, no śāstra é dito, kalau śūdra-sambhavaḥ. Na Kali-yuga (era de Kali) quase todo mundo é um śūdra. Você verá que eles estão interessados ​​em aceitar algum serviço. Mesmo um é nascido de uma família brāhmaṇa, ele está procurando um bom trabalho. Essa é a mentalidade śūdra. Isso não é negócio de brāhmaṇa. Brāhmaṇa não aceitará o serviço de ninguém, nem os kṣatriyas, nem os vaiśyas. Apenas śūdras.