PTBR/Prabhupada 0007 - A manutenção de Krishna virá

From Vanipedia
Jump to: navigation, search

A manutenção de Krishna virá
- Prabhupāda 0007


Lecture on SB 1.5.22 -- Vrndavana, August 3, 1974

Brahmānanda: Um brāhmaṇa não deve aceitar qualquer emprego.

Prabhupāda: Não. Ele vai morrer de fome. Ele não vai aceitar qualquer emprego. Este é o brāhmaṇa. Kṣatriya e vaiśya também são assim. Apenas śūdra aceita. O vaiśya vai encontrar algum negócio. Ele vai encontrar algum negócio. Aqui está uma história real. Um Sr. Nandi, há muito, muito tempo, em Calcutá, ele encontrou um amigo e disse,

"se você me der um pouco de dinheiro, posso começar um negócio."

Então ele disse: "Você é vaiśya? homem de negócios?"

"Sim".

"Oh, você está pedindo dinheiro para mim? Dinheiro está na rua. Você pode encontrar."

Então ele disse, "eu não acho."

"Você não acha? O que é isso?"

"Isso é um rato morto."

"Isso é o seu dinheiro." Veja só.

Então, naqueles dias de praga em Calcutá, a peste estava acontecendo. Houve uma declaração municipal de que qualquer rato morto entregue no escritório municipal renderia dois annas. Então ele pegou o rato morto e levou para o escritório municipal. Ele recebeu dois annas. Então ele comprou algumas nozes de betel podres com dois annas, lavou-as e as vendeu por quatro ou cinco annas. Desta forma, ele fez mais uma vez, mais uma vez, mais uma vez, e o homem tornou-se muito rico. Um dos membros de sua família foi o nosso irmão espiritual. Família Nandi. Essa família Nandi, ainda, eles têm quatrocentos, quinhentos homens para alimentar diariamente. Uma grande, aristocrática família. O regulamento de sua família é que, assim que um filho ou filha nasce, cinco mil rúpias são depositadas no banco, e na época de seu casamento, ele pode resgatar as cinco mil rúpias, mais os juros. Caso contrário, não há mais repartição do capital. E todo aquele que vive nesta família tem comida e abrigo. Esta é a sua... mas o original, eu quero dizer, o instaurador desta família, Nandi, Ele começou seu negócio com um rato morto.

Isso é realmente um fato, que se alguém quiser viver de forma independente... Em Calcutá eu tenho visto. Mesmo vaiśyas pobres, pela manhã eles pegam um pouco de ḍāl, pegam o saco de ḍāl, e vão de porta em porta. Ḍāl é necessário em todos os lugares. Assim, de manhã ele vende ḍāl, e à noite ele leva uma lata de querosene. Então, à noite, todo mundo vai precisar de querosene. Ainda hoje você vai encontrar na Índia, eles... ninguém estava procurando por emprego. Um pouco, tudo que ele tem, é graças à venda de algumas nozes moídas ou amendoins. Ele está fazendo algo. Afinal, Kṛṣṇa está mantendo todo mundo. É um erro pensar que "Este homem está me mantendo." Não. Śāstra diz, eko yo bahūnāṁ vidadhāti kāmān. Esta é a confiança em Kṛṣṇa, que "Kṛṣṇa me deu essa vida, Kṛṣṇa me enviou aqui. Então, Ele vai prover minha manutenção. Assim, de acordo com a minha capacidade, vou executar algum trabalho, e, através desse trabalho, a manutenção de Kṛṣṇa virá."