PTBR/Prabhupada 0012 - A fonte do conhecimento deve ser o ouvir

From Vanipedia
Jump to: navigation, search



A fonte do conhecimento deve ser o ouvir
- Prabhupāda 0012


Lecture on BG 16.7 -- Hawaii, February 3, 1975

Todos nós somos imperfeitos. Somos muito orgulhosos de nossos olhos: "Você pode me mostrar?" Que qualificação seus olhos têm para pode ver? Ele não pensa que "eu não tenho nenhuma qualificação; ainda assim, eu quero ver." Estes olhos, oh, eles dependem de tantas condições. Agora há luz, você pode ver. Assim que a luz é apagada, você não pode ver. Então, qual é o valor dos seus olhos? Você não pode ver o que está acontecendo além desta parede. Portanto, não acredite em seus sentidos como fonte de conhecimento. Não. A fonte de conhecimento deve ser o ouvir. Isto é chamado śruti. Portanto o nome dos Vedas é śruti. Śruti-pramāṇa, śruti-pramāṇa. Assim como uma criança ou um menino quer saber quem é o seu pai. Então, qual é a evidência? Essa evidência é śruti, ouvindo a mãe. A mãe diz: "Ele é o seu pai." Então ele ouve; ele não viu como essa pessoa se tornou seu pai. Pois antes de seu corpo ser criado o seu pai já estava lá, como ele poderia ver? Então apenas olhando você não pode determinar quem é seu pai. Você tem que ouvir a autoridade. A mãe é a autoridade. Portanto śruti-pramāṇa: a evidência é ouvida, não vista. Vendo... nossos olhos imperfeitos... há tantos obstáculos. Da mesma forma, por percepção direta, você não pode obter a verdade.

Percepção direta é especulação. Dr. Sapo. O dr. Sapo está especulando sobre o que é o oceano Atlântico. Ele está dentro de um poço, e um amigo o informa,

"Oh, eu vi uma imensidão de água."

"O que é esta imensidão de água?"

"É o oceano Atlântico."

"Quão grande é este oceano?"

"Muito, muito grande."

Assim, o dr. Sapo pensa, "talvez um metro. Este poço tem meio metro. Esse oceano deve ter um metro. Tudo bem, um metro e meio. Vamos lá, 3 metros." Deste modo, especulando, como o sapo, dr. Sapo, vai entender o oceano Atlântico ou o oceano Pacífico? Você pode estimar o comprimento e a largura do oceano Atlântico ou do oceano Pacífico através da especulação? Através da especulação mental você não vai conseguir. Eles estão especulando há muitos anos sobre este universo, quantas estrelas existem, qual é o comprimento e largura, onde está isso ou aquilo... ninguém sabe de nada nem mesmo do mundo material, o que falar do mundo espiritual? Ele está além, muito além. Paras tasmāt tu bhāvo 'nyo 'vyakto 'vyaktāt sanātanaḥ (BG 8.20).

Você vai encontrar na Bhagavad-gītā. Há uma outra natureza. Esta natureza, o que você vê, o céu, uma cúpula redonda e, acima disso, existem mais camadas formadas pelos cinco elementos. Este é o revestimento. Assim como você já viu o côco. Ele tem uma cobertura dura e em seu interior tem água. Do mesmo modo, dentro deste revestimento... Do lado de fora da cobertura, existem cinco camadas, milhares de vezes maiores do que as anteriores: Uma camada de água, uma camada de ar e uma camada de fogo. Então você tem que penetrar todas essas camadas. Então você chegará ao mundo espiritual. Todos esses universos existem em número ilimitado, koṭi. Yasya prabhā prabhavato jagad-aṇḍa-koṭi (Bs. 5.40). Jagad-aṇḍa significa universo. Koti, muitos milhões de universos agrupados, isso é o mundo material. Além desse mundo material, há o mundo espiritual, outro céu. Essa camada também é céu, sendo chamada paravyoma. Então, através de sua percepção sensorial, você não pode estimar nem mesmo o que há no planeta Lua ou no planeta Sol, este planeta, dentro deste universo. Como você pode entender o mundo espiritual pela especulação? Isso é loucura.

Portanto śāstra diz, acintyāḥ khalu ye bhāvā na tāṁs tarkeṇa yojayet. Acintya, o que é inconcebível, o que transcende sua percepção sensorial, não tente argumentar e compreender e especular. Isso é loucura. Não é possível. Portanto, temos que buscar o guru. Tad-vijñānārthaṁ sa gurum evābhigacchet, samit-pāṇiḥ śrotriyaṁ brahma-niṣṭham (MU 1.2.12). Este é o processo.